Palestra com Marcelo Rech marcou a ECAM 2013

Image

Marcelo Rech, Diretor-Executivo de Jornalismo do Grupo RBS, realizou na quarta-feira uma palestra sobre a cobertura de relações exteriores e a importância do jornalista independente para os alunos do ECAM, no Quartel General.

Na manhã do dia 19 de setembro, os alunos do ECAM presenciaram a palestra do Diretor-Executivo de Jornalismo do Grupo RBS, Marcelo Rech. Onde as experiências do palestrante e suas dicas para o jornalismo em relações exteriores, chamaram a atenção dos presentes.

Marcelo Rech reforçou desde o início a importância do jornalista nunca ficar parado. Valorizou os profissionais independentes e exemplificou a Síria como uma grande oportunidade. “Não está fazendo nada? Vá para a Síria! Ninguém está cobrindo de perto o local. Com 1500 dólares você vai até lá, com um simples Iphone você registra e tendo o um pouco de coragem, você vai gerar informação.”

Os blogs, Twitter, Facebook e outras redes estão sendo uma concorrência muito grande até para os grandes jornais. Segundo o palestrante, o YouTube com vídeos independentes dos conflitos na Síria e no Egito, impressionam mais o mundo do que simples matérias com muita informação e pouca imagem. “Deixou para trás até a cobertura da Síria feita pelo The New York Times.”

A situação atual da Síria foi um dos temas levantados pelo palestrante e causou algum debate entre aqueles que assistiam. Através da sua experiência nas coberturas internacionais, Rech acredita que os Estados Unidos não deveriam intervir e sim a ONU. “Os Estados Unidos não tem nada haver. Mas não agir é um pensamento covarde, afinal crianças estão sendo mortas. Se a ONU não intervir haverá consequências maiores.”

Aproveitou para explicar algumas diferenças que percebeu entre o Exército Brasileiro e as forças americanas. “Os americanos investem muito em publicidade para o seu exército. Isso os torna fortes. E o nível de seriedade deles é invejável. O Brasil é um país mais alegre, mas que não investe nas forças, com pouca publicidade.”

Encerrou a apresentação exaltando o Exército Brasileiro no país, através das suas próprias vivências. “Sou filho de militar, ex-aluno de colégio militar e queria ter seguido carreira na marinha. Viajei muito com eles para Antártida nos anos 80 e gostei muito do ambiente. Mas fiquei no jornalismo.”

Escrito por: Luiz Antunes/Foto: Luiz Antunes/Email: Luiz.blogger10@gmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s